Inteligência jurídica: saiba por que você precisa conhecer esse conceito

Tempo de leitura: 4 minutos

Você já ouviu falar em inteligência jurídica? O conceito é relativamente novo, mas está cada vez mais em voga, visto que foca na ideia de que é necessário antever os problemas e não esperá-los, para depois encontrar uma maneira resolução para eles. Então, com a adoção dessa prática, surge um novo ramo de atuação para os advogados.
Apesar do termo jurídico, esta é uma área que está mais ligada aos negócios do que ao Direito, já que além de necessitar do conhecimentos de leis e jurisprudências, prescinde de conhecimento de gestão, para entender como uma melhor aplicação do Direito pode ser benéfica para as empresas.
Por isso, nesse artigo vamos explicar do que se trata a inteligência jurídica, como é aplicável no dia a dia das empresas e de que forma um escritório de advocacia pode começar a oferecer o serviço. Ficou curioso para saber mais sobre o assunto? Continue acompanhando!

O que é inteligência jurídica?

Basicamente, a inteligência jurídica pretende desenvolver uma frente de atuação preventiva, evitando possíveis processos que uma empresa pode vir a receber. Para isso, trabalha-se com big data e análises de risco.
A inteligência jurídica está intimamente ligada à tecnologia e ao compliance, visto que é através da análise de dados que é possível entender algumas questões importantes para aplicar o conceito, como: qual o departamento da minha empresa que mais gera processos? Que falhas ocasionam problemas legais? Quais práticas dão prejuízo?
Com esse mapeamento, a ideia é ajustar internamente essas questões, com uma gestão eficaz, minimizando os problemas que acabam na esfera legal.
Durante muito tempo os empresários acreditavam que manter um departamento jurídico estruturado ou ter o contrato com um escritório era muito caro, por isso, utilizavam apenas como forma de remediar problemas.
Hoje, inúmeros estudos de ROI já indicam que prevenir sai mais em conta, especialmente levando em conta a morosidade do judiciário brasileiro. Um processo demora anos para se resolver e, durante todo tempo que está tramitando, está custando dinheiro.

Além disso, esse conceito está cada vez mais em alta não somente pelos custos que perder um processo pode trazer, mas principalmente pelos danos que pode causar antes mesmo da decisão do juíz. Afinal, existem prejuízos intangíveis envolvidos neste tipo de questão, como os danos causados à imagem da marca.

Como um escritório de advocacia pode começar a atuar no ramo?

Se você quer aproveitar essa tendência para ampliar os segmentos de atuação do seu escritório, vale a pena seguir algumas dicas.

Aposte na tecnologia

Sem tecnologia é praticamente impossível trabalhar com inteligência jurídica. Afinal, você teria que coletar e tabular os dados manualmente, o que além de levar muito tempo, não garantiria a fidelidade dos resultados.
Então, é preciso contar com o apoio de softwares que sejam capazes de fazer esse trabalho automaticamente, em poucos segundos. Hoje eles já existem e também estão ligados a outro conceito que está em alta, a jurimetria, que tem bastante interface com a inteligência jurídica.

Capacite a sua equipe

Não basta contar com as máquinas e softwares mais modernos se a sua equipe não está capacitada para operá-los, mas, principalmente, se essa mentalidade mais preventiva não estiver no mindset do seu time.
Portanto, capacite-os, focando não somente na parte técnica necessária para fazer a tecnologia funcionar, mas principalmente na mudança de cultura que precisa ocorrer, visto que muitas vezes advogados são pessoas conservadoras. Mostre a importância dessa mudança e esteja sempre disposto a contribuir com o crescimento intelectual deles!

Busque grandes empresas

Para entrar em um novo segmento você precisa de clientes. E, geralmente, as grandes empresas é que estão dispostas a apostar primeiro nas novidades. Portanto, foque a sua prospecção nesse tipo de público.
Faça muito network, seja através de eventos ou de redes sociais como o LinkedIn e esteja preparado para mostrar para estes empresários e gestores o valor da inteligência jurídica.

Com tantas transformações ocorrendo no mundo, é natural que elas chegassem também ao segmento jurídico, como é o caso dessa mudança de paradigma. Portanto, se você não quer ficar para trás, busque conhecer e se especializar rapidamente em inteligência jurídica, pois é uma habilidade cada vez mais necessária para os advogados e empreendedores do meio.
Ficou com alguma dúvida sobre inteligência jurídica? Deixe seu comentário no post que nós te responderemos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *