Empreendedorismo jurídico: o que você precisa saber antes de optar por esse caminho

Tempo de leitura: 4 minutos

Hoje no Brasil se formam inúmeros bacharéis em direito todos os anos. Em um mercado com tantos profissionais disponíveis, encontrar oportunidades para construir uma carreira de sucesso e se consolidar profissionalmente pode ser uma tarefa árdua. Nesse sentido, o empreendedorismo jurídico acena cada vez mais como uma possibilidade. 

Se antigamente todo mundo pensava em conquistar uma vaga em um escritório grande e renomado ou prestar concursos públicos, hoje muitas pessoas sonham em ser donas do próprio negócio. 

Se você é uma dessas, continue acompanhando o post para saber quais os possíveis caminhos e as principais tendências no empreendedorismo jurídico! 

As principais tendências em empreendedorismo jurídico

Se você quer empreender, é necessário entender quais as principais tendências do mercado, para descobrir qual o melhor nicho e então explorá-lo. Confira quais serão elas, no segmento jurídico, nos próximos anos:

  • Escritórios de advocacia para atender nichos

As pessoas buscam cada vez mais por profissionais especialistas do que generalistas. Ser especializado em um segmento, faz com que você tenha menos concorrência e também com que os clientes tenham mais confiança no seu trabalho. 

Além disso, você pode aumentar os seus honorários, pois estará oferecendo um serviço que poucas também ofertam. Algumas possibilidades para seguir com o empreendedorismo jurídico são se especializar no segmento de franchising, em startups ou até mesmo na nova lei geral de proteção de dados, já que todas as empresas estão precisando se adequar a ela.

  • Análise de dados aplicados ao direito

A utilização de dados para resolução de problemas e melhoria dos resultados é uma tendência cada vez maior em todos os segmentos e no jurídico não é diferente. Então, abrir uma startup para focar nisso e terceirizar esse tipo de serviço a escritórios de advocacia é uma grande oportunidade.

Outra possibilidade é prestar consultorias sobre o assunto, utilizando softwares que cumprem essa função, como o da ForeLegal.

  • Inteligência jurídica

Apostar na inteligência jurídica também é trabalhar com dados. Nestes casos, o profissional capacitado deve atuar de forma preventiva, identificando quais os principais riscos que uma empresa está correndo e que podem ser resolvidos com a atuação de um profissional do direito.

Assim como na opção anterior, você pode abrir uma startup ou prestar consultoria sobre o tema para grandes empresas. 

Saiba o que você precisa para abrir um negócio

Antes de abrir um negócio e investir em empreendedorismo jurídico você precisa prestar atenção em alguns aspectos. Saiba quais: 

  • Capacidade de gestão

Se você vai abrir a sua empresa tem que entender que não será apenas um advogado, mas dono de negócio. Então, precisa trabalhar a sua capacidade de gestão. 

Faça cursos, escute podcasts, leia blogs e artigos sobre o assunto e faça networking sempre que possível. Entender a importância de ser um gestor é fundamental para que o seu negócio prospere.

Além disso, prepare-se para lidar com toda burocracia que esse processo necessita, seja fazendo você mesmo ou contratando alguém capaz de fazer.

  • Amor pelo negócio

Se você vai ter a sua empresa, precisa amar muito o que faz, afinal, você será o principal responsável por ela e deverá cuidá-la por um bom tempo. Além disso, quando você não é empregado, não existe hora para trabalhar e o sucesso do negócio depende muito de você. Então, tenha certeza que você realmente quer isso!

  • Invista em network

Ser bem relacionado é fundamental para construir um negócio de sucesso, seja para conquistar clientes, parceiros ou fornecedores. Então, invista em network. 

Para isso, você pode fazer cursos e participar de eventos, retomar contatos antigos ou até mesmo usar as redes sociais, especialmente o LinkedIn. 

Agora que você já sabe quais são os principais desafios do empreendedorismo jurídico, vale a pena colocar todas estas questões na balança e definir se você quer mesmo optar por esse caminho. Se for o caso, tenha um bom planejamento para tirar o seu negócio do papel e saiba que apostar na tecnologia é fundamental, senão o seu negócio logo estará obsoleto.

Para ficar sempre ligado em assuntos sobre o universo jurídico e a relação do direito com a tecnologia, acompanhe as nossas redes sociais. Estamos no Facebook, LinkedIn e Instagram

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *